Avançar para o conteúdo principal

RetroPie Arcade Stick 2

Nestes primeiros dias do ano acabei por concluir mais um Arcade Stick que tinha começado a construir nas últimas semanas dezembro de 2016. Desta vez não usei um joystick já feito como anteriormente, foi tudo feito e planeado quase do zero aproveitando algum do material que já tinha e comprando obviamente tudo o resto em falta.

Novamente a intenção era a mesma. Aproveitar mais um Raspberry... juntar o RetroPie, um stick e os botões, e todas às ligações necessárias para ter um Arcade Stick que possa movimentar entre vários monitores e televisores que tenho, ou até para transportar fora de casa e mostrar a conhecidos e amigos o que podemos fazer essencialmente com Retro Gaming.


Devo dizer que demorei bastantes horas neste projeto, desde alguma pesquisa online por este ou aquele cabo que me faltava, até à construção da caixa em madeira como planeado antes. Posso separar o projeto talvez em 3 partes:

A primeira parte foi ver o que tinha de "spares parts" em casa e planear tudo, desde o tamanho ideal da caixa, todas às medidas e furos e tratar de encomendar online o que me faltava. Uma folha em branco um régua e um lápis foi o que usei para os apontamentos ;)

A segunda parte foi aquela que mais tempo me consumiu. Talvez cerca de 70% do tempo despendido foi todo aqui na montagem da caixa em madeira. Foi cortar, furar, juntar, voltar a furar, pintar e depois no final ainda colocar uma tampa e uns pés de borracha!!! Já dizia que nunca mais acabava...



A terceira parte foi a mais engraçada, aquela que mais gostei de fazer que foi montar tudo e ligar aqueles cabos todos dentro da caixa de modo a tudo funcionar como se pretendia. Poderia haver uma quarta parte que seria a configuração do sistema com o RetroPie, mas essa saltei porque tenho cartões clonados e como já o tinha feito uma vez, foi só copiar!


Um projeto ainda pequeno como este trás dificuldades dependendo dos conhecimentos de cada um numa ou noutra parte. Para mim a grande dificuldade foi o corte e trabalhar da madeira. Para se fazer uma coisa destas ou temos uma mini-oficina já montada e muita experiência, ou então vamos ter problemas principalmente quando não conseguimos aqueles acabamentos que vemos nos moveis da sala. E é neste ponto que penso que estes projetos por vezes não passam do papel... pelo menos é essa ideia que tenho.

De resto usei apenas cola de madeira e cola quente para fixar a madeira e todos os componentes e cabos usados. Usei apenas e só 4 parafusos e 4 casquilhos que servem para fixar a tampa em acrílico e os pés de borracha na madeira.

A ideia principal em termos "design" era construir um stick baixo porque não gosto daqueles sticks em rampa ou muito altos e difíceis por isso de pegar com às mãos. Algum comprimento também para poder ter uma boa base e um bom "agarramento" sem escorregar com os pés de borracha. A medida final ficou em cerca de 380mm de comprimento, 230 de largura e 50mm de altura. Nestes 50mm ainda somamos mais altura dos pés que deverá ser de 3 ou 4 mm.


Lá dentro um Raspberry Model A+, um cartão 16GB, um hub USB, uma placa Wifi, duas portas externas USB, uma saída RCA e outra HDMI. Botão de power ON/OFF e ligação de corrente DC 5V. E claro os botões brancos com leds (acendem quando clicamos), e um stick estilo Sanwa que não sendo original deixou-me ainda assim bastante satisfeito.

Em termos de preço antes de perguntarem quanto é que pode ficar uma brincadeira destas... Eu digo que há exceção do Raspberry em termos de componentes, todos eles foram comprados na fabrica do mundo. Tudo bem barato mas são muitos, e tudo somando com o RPi incluído deverá rondar talvez os 80 €uros. A este preço ainda soma-se os custos da tinta, madeira, acrílico etc...


O interessante é que aprendemos sempre qualquer coisa... E como tudo, à medida que foi construindo o stick imediatamente pensava em alternativas ou ideias de melhoria que me levam como diz o ditado a dizer que não há duas sem três! 

É verdade tenho já um novo stick deste género planeado e que pretendo construir nos próximos meses e que será um upgrade tremendo em relação a este. Mas isso com o seu devido tempo!

Comentários

Popular no Blogue:

OpenELEC ou LibreELEC ?

Por aqui já sabem que sou utilizador do OpenELEC há bastante tempo. É uma das minhas distribuições de Linux favoritas sendo sem duvida a minha favorita para utilizar com o popular Kodi. Este OpenELEC acaba por não ser um sistema operativo como os outros, pois ele foi criado e pensado com uma unica finalidade... utilizar com XBMC/KODI.

É um sistema que utiliza o minimo de recursos necessários para aproveitar totalmente às muitas funcionalidades do Kodi. Não precisamos instalar software ou outros programas, nem muito menos preocuparmo-nos com notificações de tarefas do sistema operativo porque o OpenELEC transforma qualquer PC numa "set-top-box" que sem problemas só serve para aquilo ;)

Como configurar e usar uma NanoStation:

Desde que tenho este blog sempre tenho recebido alguns e-mails de leitores pedindo-me ajuda neste ou naquele ponto, tudo relacionado obviamente com alguns posts que tenho feito. Um dos casos mais comuns é precisamente sobre o material da Ubiquiti mais concretamente as NanoStation e as dificuldades iniciais que afinal são comuns de quem se inicia...
Assim aqui ficam estas breves e básicas instruções para colocarem as vossas NanoStations a funcionarem muito facilmente em 7 passos logo que sejam desempacotadas :) Atenção que é um exemplo para uma NS com as definições de fabrica para funcionar em modo de cliente...

Alien Covenant (2017)

Alien Covenant (2017) No filme anterior lembro-me perfeitamente de saír da sala de cinema em satisfação total e com a ideia que poderíamos ter mais filmes e sequelas sem recorrer a essa estranha forma de vida alienígena que tanto sucesso fez no cinema. Pois nada disso aconteceu com este Alien Covenant!!
Prometheus em 2012 não foi muito bem recebido e acabou incompreendido pela maioria. Talvez por isso esta sequela de Prometheus acaba por ser um "jogar em casa" regressando às origens num filme que acaba por ser também um remake do Alien original. Ou pelo menos funciona como tal podendo explicar a origem desta estranha criatura.
Há que dizer já... Alien Covenant é um bom filme muito bem ambientado com uma excelente imagem e fotografia cheia de cores e com poucos ambientes escuros como eu aprecio bastante. O elenco possui algumas estrelas que estão pouquíssimos minutos em cena, depois os restantes cientistas todos são "esquecíveis" e só mais uma vez o android David e …