Avançar para o conteúdo principal

RetroPie Arcade Stick... dos pobres!

Tudo foi feito com material que tinha em casa encostado e sem uso. Um Arcade Stick com um Raspberry lá dentro com o sistema RetroPie instalado para emulação de jogos principalmente de 8 e 16 bits! 


O Arcade Stick é um Mayflash praticamente virgem, tal foi às vezes que o utilizei. Depois como maquina aproveitei um Raspberry Model A que tinha também encostado. Este Raspberry é um dos primeiros modelos ainda e só com 256MB de Ram mas que é suficiente para o projeto. Ainda dentro da caixa... ou melhor dentro do stick ficou um HUB USB 2.0 com alimentação para alimentar não só o próprio Raspberry, mas também para ter portas suficientes para adicionar pens Bluetooth e Wifi.


Tudo coube perfeitamente dentro do stick, não ficou com grande arrumação pois tudo ficou preso pelo espaço existente. No Raspberry é que optei por prender o cartão SD com fita-cola de modo a este não saltar futuramente.


Isto foi tão fácil de fazer que apenas tive que alargar um furo para poder passar os cabos necessários para a ligação do stick a um TV/LCD. Como demonstra nas imagens arranjei uns cabos bem pequenos para a saída RCA e HDMI. Ambas podem ser utilizadas... a RCA para os velhos CRT, e o HDMI para os mais modernos LCDs. Esta saída HDMI limitei-a por configuração na RetroPie para uma ligação de 720p.


Ainda deixei um cabo USB de "fora" para poder não só ligar um teclado, um armazenamento externo ou um segundo comando. O segundo comando também pode ser conectado por bluetooth pois deixei uma pen dentro para esse efeito. A pen Wifi é para acesso à Web para atualizações e para poder aceder à partilha samba das roms e configurações.

Em termos de software, é o RetroPie com EmulationStation e o RetroArch. Este RPi Model A de 256Mb de Ram aguenta-se bastante bem com emuladores até a geração das SNES e MegaDrive. Jogos de PC como o Doom, o Quake ou o Open Tyrian também foram instalados. Assim como o Kodi. Para tudo isto foi configurado o Raspberry em modo Turbo e com o split de memoria para 112/144.
Em relação aos jogos de Arcade é que optei por não utilizar o RetroArch, mas sim os emuladores próprios para o Pi como o PiFBA e o Mame4All-Pi que efetivamente têm um desempenho superior em relação aos cores do RetroArch neste "limitado" Raspberry.

O único cabo completo que sai da caixa é o do transformador que alimenta a HUB USB. Neste cabo coloquei uma ficha de cadeeiro de apagar e ligar. Esta é certamente um invenção não recomendada porque isto provoca um corte súbito na alimentação do Raspberry que pode levar a corrupção no cartão. No entanto não oferece grandes preocupações pois sabemos que o próprio Raspberry não tem botão de ligar ou desligar e o próprio sistema do Raspbian esta preparado para corrigir alguns desses erros.

Material Utilizado:
  • 1 Arcade Stick Mayflash
  • 1 Raspberry Model A 256Mb Ram
  • 1 Hub USB 2.0 com Transformador
  • 1 Cartão SD de 16GB
  • 1 pen Bluetooth
  • 1 pen Wifi
  • 1 Ficha On/Off de Cadeeiro
  • 1 Mini-RCA Macho/Fêmea
  • 1 Mini-HDMI Macho/Fêmea  
  • 1 Mini Cabo USB Macho/Fêmea
  • 1 Cabo Micro-USB
  • Fita-Cola
Não só pela descrição mas também pela experiencia, tudo foi bastante fácil de fazer.

Links: RetroPie, EmulationStation, RetroArch

Comentários

Popular no Blogue:

OpenELEC ou LibreELEC ?

Por aqui já sabem que sou utilizador do OpenELEC há bastante tempo. É uma das minhas distribuições de Linux favoritas sendo sem duvida a minha favorita para utilizar com o popular Kodi. Este OpenELEC acaba por não ser um sistema operativo como os outros, pois ele foi criado e pensado com uma unica finalidade... utilizar com XBMC/KODI.

É um sistema que utiliza o minimo de recursos necessários para aproveitar totalmente às muitas funcionalidades do Kodi. Não precisamos instalar software ou outros programas, nem muito menos preocuparmo-nos com notificações de tarefas do sistema operativo porque o OpenELEC transforma qualquer PC numa "set-top-box" que sem problemas só serve para aquilo ;)

Como configurar e usar uma NanoStation:

Desde que tenho este blog sempre tenho recebido alguns e-mails de leitores pedindo-me ajuda neste ou naquele ponto, tudo relacionado obviamente com alguns posts que tenho feito. Um dos casos mais comuns é precisamente sobre o material da Ubiquiti mais concretamente as NanoStation e as dificuldades iniciais que afinal são comuns de quem se inicia...
Assim aqui ficam estas breves e básicas instruções para colocarem as vossas NanoStations a funcionarem muito facilmente em 7 passos logo que sejam desempacotadas :) Atenção que é um exemplo para uma NS com as definições de fabrica para funcionar em modo de cliente...

Alien Covenant (2017)

Alien Covenant (2017) No filme anterior lembro-me perfeitamente de saír da sala de cinema em satisfação total e com a ideia que poderíamos ter mais filmes e sequelas sem recorrer a essa estranha forma de vida alienígena que tanto sucesso fez no cinema. Pois nada disso aconteceu com este Alien Covenant!!
Prometheus em 2012 não foi muito bem recebido e acabou incompreendido pela maioria. Talvez por isso esta sequela de Prometheus acaba por ser um "jogar em casa" regressando às origens num filme que acaba por ser também um remake do Alien original. Ou pelo menos funciona como tal podendo explicar a origem desta estranha criatura.
Há que dizer já... Alien Covenant é um bom filme muito bem ambientado com uma excelente imagem e fotografia cheia de cores e com poucos ambientes escuros como eu aprecio bastante. O elenco possui algumas estrelas que estão pouquíssimos minutos em cena, depois os restantes cientistas todos são "esquecíveis" e só mais uma vez o android David e …