segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Wind River (2017)

Acabei de ver: Wind River (2017)

Dirigido por Taylor Sheridan ele que é o autor guionista de filmes aclamados como Sicario e Hell or High Water. Em Wind River estamos perante mais um filme desconcertante passado numa América selvagem e que acaba por funcionar com uma critica social com percebemos só no seu final.

A historia é sobre uma morte de uma jovem numa reserva índia que é descoberta por um caçador habituado a caçar animais selvagens nas zonas de gado. Este caçador interpretado por Jeremy Renner revela-se um individuo silencioso com um passado e presente trágico que vai sendo revelado aos poucos na fita. Pessoalmente acho que Jeremy Renner têm aqui o seu melhor trabalho. Secundado pela sua companheira dos Vingadores, e minha futura esposa Elisabeth Olsen ;)


Um thriller notável com uma cena em flashback que revela tudo e que nos atira ao chão de uma forma magistral. Uma fotografia branca bem retratada e uma banda sonora acompanhar são outros pontos muito bons do filme.

Mas o melhor mesmo deste Wind River é que é um daqueles filmes que passa facilmente despercebido e que ao ser descoberto provoca aquela sensação agradável de duas horas de total satisfação.

domingo, 5 de novembro de 2017

Sony este é para M18+

E durante esta semana que passou, eu o autor deste blogue fiquei chocado com este trailer!

O trailer seguinte é sobre a continuação do jogo de grande sucesso da Naughty Dog, o The Last of Us. Este apresenta um conteúdo extremamente violento que me deixou desanimado e de certa forma triste não pela qualidade do jogo mas pela forma como foi apresentado em streaming para todo o mundo.

Vivemos numa época com acesso descontrolado a todos o tipo de conteúdos. Vimos series na TV e filmes violentos, temos jogos violentos em casa e zombies como uma nova forma de cultura! Mas isto Sony é demais... ao menos um aviso prévio ficava bem ;( 

domingo, 29 de outubro de 2017

Thor: Ragnorok (2017)

Acabei de ver: Thor: Ragnorok (2017)

Cruzar a BD com o cinema e logo num universo de historias e mitologias sobre Thor Odison seria provavelmente o maior desafio da Marvel quando começou isto tudo em 2008 com o Iron Man!  Sabemos que em "The Dark World" tirando o pouca credibilidade do vilão principal e de algumas personagens, o filme foi ainda assim suficiente para entreter quanto baste. Mas é agora em 2017 com Ragnorok que a Marvel faz provavelmente o melhor de todos os seus filmes menos... sérios ;)

Com mais de uma boa meia-dúzia de personagens bem metidas e cheias de presença na fita como o Jeff Goldblum, a terrível Hela de Blanchett ou a surpreendente Valkyrie por Tessa Thompson. Em Ragnorok existe ainda um nível cómico atualizado capaz de nos deixar não só de sorriso rasgado mas também a pensar que o equilíbrio das cenas e do humor contido esta quase perfeito.

Há "estaleca" em Ragnorok que possui ainda uma excelente banda sonora e uns cenários bem pintados que tornam tudo muito anos 80 e mais nas partes passadas dentro do planeta Sakaar. Para todas as idades, para uma boa sessão da tarde com altos níveis de entretenimento, a Marvel parece não dar sinais de abrandamento... 

Fosga-se mas gostei mesmo das personagens, de todas mesmo! ;) 

domingo, 8 de outubro de 2017

Blade Runner 2049 (2017)

Acabei de ver: Blade Runner 2049 (2017)

Blade Runner 2049 é uma "genuína" sequela do original de 1982, e partilha com esse filme de culto uma cinematografia e uma qualidade visual e sonora irrepreensível! Já relativamente ao enredo que segue o original, este novo desvenda-se mais rapidamente não havendo tantas perguntas a ficarem sem resposta como no anterior de 1982. Como aquela pergunta de anos e anos... É Deckard um replicante ? Para essa pergunta existem dois momentos neste que confirmam essa mesma teoria, tal como desde a primeira cena que percebemos logo que o novo Blade Runner interpretado por Gosling também é ele um replicante.

Não achei este novo Blade Runner superior ao original por agora... e mesmo a obra anterior de Villeneuve deu-me uma maior satisfação que este numa primeira visualização. Não deixa de ser um excelente filme, estupendo mesmo com uma historia incrível mas que não consegue ser a novidade visual do seu antecessor. O Hans Zimmer que dispensa apresentações também não supera o Vangelis da obra original, coisa que sabemos seria muito difícil de acontecer. OK tudo é bom mas o outro é ainda melhor... ;)


Já do elenco e das personagens são todas excelentes e gostando de todos, em particular destacava a personagem interpretada pela Ana de Armas e para o que ela representa não só no próprio filme como na filosofia que começou em 1982. Algo que fica deste Blade Runner e dessa personagem, é a Joi que vai lembrar durante muito tempo este Blade Runner 2049.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Super Mario Odyssey – Trailer de lançamento (Nintendo Switch)

Parece sempre a mesma coisa... mais um jogo do Mário da Nintendo agora a fazer a sua estreia na Switch! É provavelmente o videojogo mais esperado a ser lançado até ao final deste ano em qualquer sistema.

Parece-me que estamos perante um jogo do "calibre" do Breath of the Wild e que pode lançar definitivamente a Nintendo Switch como a consola da "moda" ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Popular no Blogue: